NOSSO PATRIMÔNIO ARQUITETÔNICO DEVE SER PRESERVADO

Quem lembra das fachadas das casas de antigamente? Com seus belíssimos detalhes arquitetônicos, algumas eram grandes e luxuosas, outras nem tanto, até bem simples, porém bem trabalhadas. Lembro-me de ter vsto algumas ao longo da Rua Lauro Passos na Baixinha da Vitória, na Rua da Vitória, na Rua das Poções, na Praça Senador Temístocles, naContinuar lendo “NOSSO PATRIMÔNIO ARQUITETÔNICO DEVE SER PRESERVADO”

O VENDEDOR DE TABOCA

Taboca A palavra de origem Tupi, Ta’woka (planta oca, cana) dá nome a uma das delícias da cozinha doce baiana: um biscoito muito fino e delicado, feito da mistura de farinha de trigo, farinha de mandioca, açúcar e água. Preparado de forma artesanal, e por fim, prensado numa espécie de chapa, onde, em seguida é moldadoContinuar lendo “O VENDEDOR DE TABOCA”

INSTITUTO BAHIANO DO FUMO

O Instituto Bahiano do Fumo foi criado pelo Decreto Estadual 9.409, de 16 de março de 1935. A Estação Experimental do IBF, em Cruz das Almas, começou a funcionar em 1950, sendo o seu primeiro diretor o Dr. Landivaldo Melo Mota. Em 1983, o IBF passou a ser o Instituto Bahiano de Fomento Agrícola. Depois,Continuar lendo “INSTITUTO BAHIANO DO FUMO”

LEMBRO COMO SE FOSSE HOJE.

Por Salomão Barbosa de Oliveira Década de 80, baixinha da Vitória onde eu morava vizinho de “Piru” Lucio filho da saudosa Dona Nicinha. Foi com Piru que comecei a aprender a confeccionar “espadas” junto aos primos dele e meus quase irmãos Quinca (Roque neves) Lando (Carlos Arlan Neves) e meu fiel escudeiro Noca (João NoéContinuar lendo “LEMBRO COMO SE FOSSE HOJE.”

CIDADE DAS BICICLETAS

“A CIDADE DAS BICICLETAS”, assim Cruz das Almas ficou conhecida por um longo e bom tempo. Mas eram muitas bicicletas mesmo… uma quantidade enorme que circulava pelas ruas e estradas, durante a semana, por volta das 5 e 6 horas da manhã, ao meio-dia e todo final de tarde era comum milhares (sem exagero!), milharesContinuar lendo “CIDADE DAS BICICLETAS”

CRESCIMENTO POPULACIONAL

Levantamento histórico do crescimento populacional de Cruz das Almas, segundo o recenseamento demográfico do IBGE, através dos anos: 1900 – 13.219 hab. 1920 – 20.723 hab. 1940 – 28.255 hab. 1950 – 32.276 hab. 1960 – 20.234 hab. 1970 – 28.814 hab. 1980 – 37.352 hab. 1990 – 45.858 hab. 2000 – 53.049 hab. 2010Continuar lendo “CRESCIMENTO POPULACIONAL”

LEI Nº 4.632, DE 6 DE JANEIRO DE 1923

Fixa a Despeza Geral da Republica dos Estados Unidos do Brasil para o exercicio de 1923 Art. 97. Fica o Governo autorizado: XXXIII- A, dentro dos limites expressos na consignação respectiva, executar os seguintes serviços, preferindo entre os mesmos aquelles que, a juizo dos orgãos technicos da administração, forem considerados mais urgentes: prolongamentos ou ramaes ouContinuar lendo “LEI Nº 4.632, DE 6 DE JANEIRO DE 1923”