PERÍODO DA INTENDÊNCIA MUNICIPAL

O PAÇO MUNICIPAL

Sabia que Cruz das Almas teve 7 intendentes municipais, que era o cargo equivalente ao do prefeito como hoje conhecemos? O período da Intendência em Cruz das Almas teve 8 mandatos, a saber:

·Cônego Antonio da Silveira Franca (eleito em 1897);

·Cônego Antonio da Silveira Franca (reeleito em 1899);

·Comendador Themístocles da Rocha Passos (eleito em 1901);

·Major Alberto Veloso da Rocha Passos (eleito em 1903);

·Coronel José Lino de Queiroz (eleito em 1907);

·Coronel Januário Rodrigues Velame (eleito em 1909);

·Coronel Trajano Andrade (eleito em 1912); e,

·Dr. Luiz Eloy Passos (eleito em 1929), que foi o último intendente da República Velha, visto que, no Brasil, a figura do intendente municipal existiu até 1930.

A HISTÓRIA DAS PREFEITURAS: A instituição da prefeitura e de seu encarregado maior, o “prefeito”, é algo relativamente novo na história do Brasil. O poder hoje exercido pela prefeitura foi anteriormente exercido pela câmara municipal, pelo conselho de intendência e pela intendência municipal. O Brasil conta, hoje, com 5.570 prefeituras espalhadas por municípios dos 26 Estados do país, além do Distrito Federal. Os municípios são uma circunscrição territorial dotada de personalidade jurídica e com certa autonomia administrativa, sendo as menores unidades autônomas da Federação. Uma prefeitura é a sede do poder executivo do município. Esta é comandada por um prefeito e dividida em secretarias municipais, como educação, saúde ou meio ambiente, por exemplo. O termo prefeitura também pode designar o prédio onde está instalada a sede do governo municipal, também chamado de paço municipal, onde geralmente se localiza o gabinete do prefeito.

PANORAMA MUNICIPAL

Conheça a história da sua cidade e veja fotos do local. Há desde fotos históricas, de pontos turísticos e até mesmo de locais menos conhecidos dos municípios. As fotos disponíveis pertencem ao Acervo Fotográfico da biblioteca do IBGE:

https://cidades.ibge.gov.br/brasil/ba/cruz-das-almas/panorama

Veja também o mapa descritivo do município de Cruz das Almas: http://www.sei.ba.gov.br/site/geoambientais/mapas/pdf/municipal/mapa_descritivo_2909802_1.pdf

Confira aqui as leis municipais sancionadas em 2017 e 2018:

http://www.cruzdasalmas.ba.leg.br/leis

DIOCESE DE CRUZ DAS ALMAS

Brasao Diocese Cruz das Almas (Oficial)

No dia 22 de novembro de 2017, o Papa Francisco criou uma nova diocese: a Diocese de Cruz das Almas, antigo sonho das comunidades do Recôncavo Baiano. Desmembrada da Arquidiocese Primaz, ela terá como padroeira Nossa Senhora do Bom Sucesso. Dela farão parte os municípios de Cruz das Almas, Cabaceiras do Paraguaçu, Cachoeira, Governador Mangabeira, Maragogipe, Muritiba, Santo Amaro, São Félix, Sapeaçu e Saubara.

Para primeiro bispo diocesano, o Papa nomeou Dom Antonio Tourinho Neto, até então Bispo Auxiliar de Olinda e Recife. Baiano de Jequié, ele tomará posse como 1º Bispo Diocesano, no dia da instalação da nova Diocese.

BISPO2

E eis que uma multidão se concentrou na praça em frente à Matriz da Paróquia Nossa Senhora do Bom Sucesso, localizada no município de Cruz das Almas, na manhã de domingo, dia 28 de janeiro de 2018, para acompanhar a Missa de instalação da Diocese de Cruz das Almas e a posse de seu primeiro bispo diocesano, Dom Antonio Tourinho Neto. Um momento histórico, que teve como ponto alto a Missa presidida pelo Núncio Apostólico no Brasil, Dom Giovanni D’Anielo, e concelebrada por Arcebispos e bispos de outras Arquidioceses, por padres e diáconos.

No início da Celebração Eucarística, o Arcebispo de Salvador e Primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger, apresentou a nova diocese, a partir do pedido de criação. “Na manhã de hoje, nesta cidade de Cruz das Almas, cruzam-se o sonho de toda uma região e a atenção paterna do Papa Francisco, explico-me: o sonho da comunidade católica dessa região do Recôncavo Baiano nos volta ao ano de 1975, quando os bispos da CNBB Regional Nordeste 3 pediram à Santa Sé a criação de cinco novas dioceses na Bahia. Em 1978 foram criadas as dioceses de Jequié e Itabuna; em 1979 a de Barreiras; em 1980 a de Irecê. A quinta, a do Recôncavo, ficou sem data definida. Em 2008 o Regional Nordeste 3 da CNBB aprovou o pedido da criação de duas novas dioceses, desmembradas integralmente da Arquidiocese de São Salvador da Bahia. Em 2010 foi criada a primeira delas: Camaçari. A segunda diocese do Recôncavo, a Diocese de Cruz das Almas, está sendo instalada hoje”, disse.

O chanceler da Arquidiocese de Salvador, padre Ademilton Santa Bárbara, leu as Bulas de Criação da Diocese e da Nomeação do bispo. Em seguida, o Núncio Apostólico entregou o báculo a Dom Tourinho, confiando a ele, a partir deste momento, a Diocese de Cruz das Almas.

BISPO DOM TOURINHO

Voltando o olhar para o Núncio Apostólico, Dom Murilo afirmou que esta região é uma das mais antigas da Bahia e, portanto, do Brasil. “90% de suas paróquias são mais que centenárias, duas delas estão entre as primeiras 15 do Brasil, com peso da história cívico-religiosa do nosso povo. Mas com o sonho do povo desta região cruza-se hoje a atenção paterna do Papa Francisco que, voltando os seus olhos para a necessidade da Igreja no Brasil, erigiu essa nova diocese, colocada sob a proteção de Nossa Senhora do Bom Sucesso. Aqui, no ponto mais alto do planalto, tropeiros vindos do sertão, fincaram uma cruz de madeira, onde paravam para descansar e orar pelas almas durante suas viagens de ida e volta, transportando mercadorias. Aqui a Cruz de Cristo deverá brilhar sempre mais como sinal de salvação. Assim, por caminhos que só a bondade de Deus poderá explicar, a antiga freguesia que tinha o nome de Nossa Senhora de Cruz das Almas, passa a ser, a partir de hoje, a sede da Diocese de Cruz das Almas”, afirmou.

Durante a homilia, o Núncio Apostólico afirmou que uma diocese nasce da solicitude e do amor. “A solicitude é o que a Igreja tem com seus fiéis, para não deixar vocês sem o cuidado. Essa solicitude foi mostrada aqui já há tantos anos atrás, em 1975, quando aconteceu o pedido de criação desta diocese. Fico feliz em poder dar cumprimento a essa solicitude. Uma diocese que é desmembrada de outra diocese nasce e finda sempre na mesma família, que é a Igreja. Temos que ter essa solicitude para continuar fortalecendo essa unidade. Somos todos um e o amor que temos um pelo outro faz com que todo mundo reconheça que nós somos uma só família amada por Deus e por Nossa Senhora. Solicitude e amor, duas palavras que eu espero que hajam nessa comunidade”, disse.

Primeiro bispo

Ao serem agraciados com a Diocese de Cruz das Almas, os moradores da região do Recôncavo também acolheram o seu primeiro bispo, Dom Antônio Tourinho Neto que tomou posse com alegria, esperança e disposição. “É uma missão árdua. Eu conto principalmente com o clero. O primeiro ano será mais de observação do que de ação para poder ter o controle nas mãos daquilo que realmente a evangelização precisa. Conto com Deus, Ele me deu a graça, então Ele vai me dar a graça também de governar esta diocese segundo a monção do Espírito Santo”, afirmou.

Sobre as prioridades estabelecidas para o seu pastoreio, Dom Tourinho afirmou que elas são inúmeras, não há uma prioridade específica, porém a preocupação do bispo é motivar as vocações sacerdotais. “São muitas prioridades, mas, agora em primeiro lugar nós precisamos firmar o nosso clero”, disse.

BISPO3

O NOVO BISPO DIOCESANO É RECEPCIONADO PELO PREFEITO ORLANDINHO E PELO VICE PREFEITO MAX PASSOS NO SALÃO NOBRE DO PAÇO MUNICIPAL DE CRUZ DAS ALMAS

As boas-vindas a Dom Tourinho também foram dadas pelo Arcebispo Emérito da Arquidiocese de Salvador, Cardeal Dom Geraldo Majella Agnelo, que enviou uma carta lida por Dom Murilo. “A Dom Antonio desejo um profícuo ministério episcopal, que Deus o guarde com saúde e muitos anos de vida. A Mãe de Deus com o título de Nossa Senhora do Bom Sucesso o acompanhe sempre em sua missão. Aos caros sacerdotes que comporão a diocese de cruz das almas, a minha especial saudação, desejo que acolham o pastor a vós enviado hoje com muita alegria e disposição renovada. Tenho confiança que Dom Antonio será recebido por um povo fervoroso, acolhedor e alegre”, escreveu Dom Geraldo.

Representando o Regional Nordeste 2 e ao lado do Arcebispo Emérito de Palmares, Dom Genival da França e do Arcebispo da Paraíba, Dom Manoel Delson Cruz, o Arcebispo de Olinda e Recife, Dom Fernando Saburido, falou sobre a alegria de participar da posse de Dom Antonio, que por três anos foi bispo auxiliar em sua diocese. “Foram três anos de serviço, de amizade, de fraternidade que, de fato, marcou muito a vida da Arquidiocese de Olinda e Recife. Vocês estão ganhando um tesouro, um presente, uma pérola preciosa. Nossa Senhora vai acompanhá-lo, que ele possa, com a ajuda de vocês edificar essa Igreja. Vocês vão contar com um pastor doado e sensível à questão dos pobres. Dom Antonio vai ajudar vocês na caminhada”, afirmou Dom Fernando.

O clero da Diocese de Cruz das Almas, por meio do pároco da Paróquia Nossa Senhora do Bom Sucesso, padre Josevaldo Carvalho, também deu as boas-vindas a Dom Antonio. “Dom Tourinho, ao render graças a Deus pelo dia em que o Santo Padre erigiu a Diocese de Cruz das Almas e nominou a Vossa Excelência sobre a cátedra nunca antes ocupada, para guiar esse povo de Deus, apresentamos  o nosso filial acolhimento e o nosso caloroso abraço, na certeza de que juntos podemos dar cada vez mais a esta nascente Igreja Particular de Cruz das Almas, o rosto da verdadeira Igreja de Cristo, uma Igreja nascida da cruz”, disse o padre Josevaldo Carvalho, pároco da Paróquia Nossa Senhora do Bom Sucesso.

A mãe, os dois irmãos, cunhada, cunhado, sobrinhos e tios de Dom Antonio também participaram da Celebração Eucarística. “É uma emoção muito grande, uma alegria muito grande, estou com o coração muito agradecido ao Senhor. Nosso Senhor diz assim: eu vou enviar um pastor para pastorear o meu povo, que meu povo ouça a voz do pastor; e que ele também ouça a minha voz. Eu oro para que ele seja um bom bispo, que traga muita alegria ao coração do Senhor, e que o povo fique feliz com ele, que ele também honre e fique feliz com o povo”, disse a mãe de Dom Antonio, Edézia Vilas Boas Tourinho.

Entre as autoridades eclesiásticas estavam o Núncio Apostólico no Brasil, Dom Giovanni D’Anielo; o Arcebispo de Salvador e Primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger; os bispos auxiliares de Salvador, Dom Gilson Andrade da Silva, Dom Marco Eugênio Galrão, Dom Estevam dos Santos Silva Filho e Dom Hélio Pereira dos Santos; o Arcebispo de Feira de Santana, Dom Zanoni Demettino de Castro; o Arcebispo Emérito de Feira de Santana, Dom Itamar Vian; o Arcebispo Emérito de Palmares, Dom Genival da França; o Arcebispo da Paraíba, Dom Manoel Delson Cruz; o Arcebispo de Vitória da Conquista, Dom Luiz Pepeu; o bispo da Diocese de Itabuna, Dom Carlos Alberto dos Santos; o bispo Emérito de Itabuna, Dom Ceslau Stanula; o bispo da Diocese de Propriá, Dom Vitor Menezes; o bispo da Diocese de Serrinha, Dom Otorino Assolari; o bispo da Diocese de Alagoinhas, Dom Paulo Romeu; o bispo da Diocese de Ruy Barbosa, Dom André de Witte; o bispo da Diocese de Amargosa, Dom Valdemir Ferreira dos Santos; o bispo da Diocese de Eunápolis, Dom José Edson Santana; o bispo da Diocese de Ilhéus, Dom Mauro Montanha; o bispo da Diocese de Bagé, Dom Gílio Felício; o bispo da Diocese de Jequié, Dom José Ruy; o bispo da Diocese de Barreiras, Dom Josafá Menezes; o bispo da Diocese de Camaçari, Dom João Carlos Petrini; e o bispo da Diocese de Estância, Dom Giovanni Crippa.

(FONTE: http://arquidiocesesalvador.org.br/site/?tag=diocese-de-cruz-das-almas )

 

PREFEITO ORLANDINHO

orlandinho-eleito

Filho do renomado e querido médico Dr. Orlando Pereira e de D. Alcina Antar Pereira, Orlando Peixoto Pereira Filho, nascido em 24 de abril de 1960, é casado com Cilene Pereira, pai de Lara e Mariana e avô de Nina.

Engenheiro Agrônomo formado pela Escola de Agronomia da Universidade Federal da Bahia, em Cruz das Almas e Mestre em Extensão Rural pela Universidade Federal de Santa Maria, no Rio Grande do Sul.

Funcionário público estadual, trabalhou como extensionista rural e chegou a exercer o cargo de Gerente Regional da EBDA. Também foi Assessor Parlamentar do Senador da República Valter Pinheiro e em 2015, foi nomeado pelo Governador Rui Costa como Coordenador Executivo de Pesquisa e Inovação de Extensão Tecnológica, vinculado à Secretaria  de Desenvolvimento Rural do Estado da Bahia.

Orlandinho, como é carinhosamente conhecido pela população, ainda na faculdade  participava ativamente da vida acadêmica, sendo integrante da Associação Esportiva e da Cooperativa da Escola de Agronomia e já participava dos movimentos estudantis de luta contra a ditadura militar. Foi quando passou então a pautar a sua iniciação na vida na política pela luta a favor da democracia, da liberdade, da cidadania e da justiça social.

Em 1989, filiou-se ao Partido dos Trabalhadores (PT) e atuou incansavelmente na consolidação do partido em Cruz das Almas e região, empenhado na luta pela eleição de Lula na campanha daquele ano.

Assim, como Presidente do Diretório Municipal do PT de 1992 a 1997, Orlandinho soube com habilidade e honestidade consolidar a história do Partido dos Trabalhadores em Cruz das Almas e no Recôncavo.

Em 1996, sua candidatura a prefeito do município foi o pontapé inicial de um projeto maior que viria depois.

Candidato a deputado estadual em 1998, 2002 e em 2014, quando Orlandinho chegou a suplente, obtendo mais de 20 mil votos.

Como vereador, eleito em 2000, teve uma atuação bem expressiva na Câmara de Vereadores.

Em 2004, o povo de Cruz das Almas, através da eleição direta, conduziu Orlandinho ao cargo de prefeito com uma vitória esmagadora sobre o adversário.

Em 2008, com as mãos limpas e direcionando a administração pública para atender ao Povo de Cruz das Almas (sobretudo os mais necessitados), o Prefeito Orlandinho foi credenciado à reeleição. Assim, administrou brilhantemente o município de Cruz das Almas por oito anos; ou seja, de 2005 a 2012.

Neste período teve a oportunidade de concretizar a sua importante participação na antiga luta para a criação da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia. Foi em 2006 que o então Prefeito Orlandinho, durante visita do Presidente Lula a Cruz das Almas, pode entregar aos cruzalmenses, aos baianos e aos brasileiros a “fábrica de realizar sonhos”: a UFRB – Universidade Federal do Recôncavo da Bahia.

E, agora, após as eleições de outubro de 2016,  com posse em 2017, volta pelo terceiro mandato para mais uma vez governar o Município de Cruz das Almas, eleito com 17.145 votos.

(FONTE: Arquivo do editor  )

RELATO CRONOLÓGICO DAS ELEIÇÕES MUNICIPAIS

FOTO PAÇO MUNICIPAL 1950

PAÇO MUNICIPAL EM 1950

Após a Emancipação, as primeiras eleições dos candidatos à Intendência e Conselho Municipal foram realizadas no dia 3 de outubro de 1897, sendo eleito o primeiro Intendente, o Cônego Antônio da Silveira Franca.

OS PRIMEIROS INTENDENTES

  • Cônego Antônio da Silveira Franca (eleito em 3 de outubro de 1897)
  • Cônego Antônio da Silveira Franca (eleito em 27 de novembro de 1899)
  • Temístocles da Rocha Passos (eleito em 31 de dezembro de 1901)
  • Major Alberto Velloso da Rocha Passos (eleito em 28 de janeiro de 1903)
  • Coronel José Lino de Queiroz (eleito em 10 de novembro de  1907)
  • Coronel Januário Rodrigues Velame (eleito em 25 de julho de 1909)
  • Coronel Trajano Andrade (eleito em 19 de julho de 1912)
  • Luiz Eloy Passos ( 1929 – 1930), eleito pelo Conselho Deliberativo Municipal, foi o último Intendente da República Velha.

PREFEITOS DEPOIS DA REVOLUÇÃO DE 1930

  • Chrisógno José Fernandes (nomeado em 23 de novembro de 1930)
  • Luiz Eloy Passos (nomeado em 01 de julho de 1933)
  • Gilberto de Almeida Passos (nomeado em 01 de fevereiro de 1934)
  • Luiz Eloy Passos (eleito em 02 de fevereiro de 1934)
  • Coronel José Batista da Fonseca (nomeado interino em 05 de maio de 1937
  • Luiz Eloy Passos (nomeado em 10 de julho de 1937)
  • Edmundo Pereira Leite (nomeado em 10 de agosto de 1944)
  • José de Carvalho Rocha (nomeado em 05 de maio de 1945)
  • Geraldo Carlos Pereira Pinto (nomeado em 23 de novembro de 1945)
  • Milton Ernestino da Silva (nomeado em 12 de janeiro de 1947)

OUTROS PREFEITOS E PERÍODOS ATÉ A ATUALIDADE

  • Ramiro Eloy Passos (05/02/1948 a 31/01/1951)
  • Jorge Guerra (31/01/1951 a 07/04/1955)
  • Ramiro Eloy Passos  (07/04/1955 a 07/04/1959)
  • Fernando Carvalho de Araújo (07/04/1959 a 07/04/1963)
  • Jorge Guerra (07/04/1963 a 15/05/1964)
  • Waltércio Barroso da Fonseca (15/05/1964 a 07/04/1967)
  • Lauro de Almeida Passos (07/04/1967 a 31/01/1971)
  • Fernando Carvalho de Araújo (31/01/1971 a 31/01/1973)
  • Carmelito Barbosa Alves (01/02/1973 a 31/01/1977)
  • Claudemiro Dias Pamponet (01/02/1977 a 31/01/1983)
  • Carmelito Barbosa Alves (01/02/1983 a 31/12/1988)
  • Lourival José dos Santos (01/02/1989 a 31/12/1992)
  • Carmelito Barbosa Alves (01/01/1993 a 31/12/1996)
  • Raimundo Jean Cavalcante Silva (01/01/1997 a 31/12/2000)
  • Raimundo Jean Cavalcante Silva (01/01/2001 a 31/12/2004)
  • Orlando Peixoto Pereira Filho (01/01/2005 a 31/12/2008)
  • Orlando Peixoto Pereira Filho (01/01/2009 a 31/12/2012)
  • Raimundo Jean Cavalcante Silva (01/01/2013, renunciando em 09/09/2015)
  • Ednaldo José Ribeiro (assumiu em 10/09/2015 a 31/12/2016)
  • Orlando Peixoto Pereira Filho (01/01/2017 a 31/12/2020)

(FONTE: ACTAS E ATOS, Prof. Manoelito Roque Sá)

Paço

PAÇO MUNICIPAL, ATUALMENTE

GALERIA DOS PREFEITOS

  1. Cônego Antônio da Silveira Franca
  2. Major Alberto Velloso da Rocha Passos
  3. José Lino de Queiroz
  4. Temístocles da Rocha Passos
  5. Trajano de Andrade
  6. Januário Rodrigues Velame
  7. Crisógno José Fernandes
  8. José de Carvalho Rocha
  9. Luiz Eloy Passos
  10. Geraldo Carlos Pereira Pinto
  11. Ramiro Eloy Passos
  12. Milton Ernestino da Silva
  13. Jorge Guerra
  14. Fernando Carvalho de Araújo
  15. Waltércio Barroso da Fonseca
  16. Lauro de Almeida Passos
  17. Claudemiro Dias Pamponet
  18. Lourival José dos Santos
  19. Carmelito Barbosa Alves
  20. Raimundo Jean Cavalcante Silva
  21. Ednaldo José Ribeiro
  22. Orlando Peixoto Pereira Filho (3º mandato)

BREVE RELATO HISTÓRICO: Após a Emancipação, as primeiras eleições dos candidatos à Intendência e Conselho Municipal foram realizadas no dia 3 de outubro de 1897, sendo eleito o primeiro Intendente, o Cônego Antônio da Silveira Franca.

OS PRIMEIROS INTENDENTES

  • Cônego Antônio da Silveira Franca (eleito em 3 de outubro de 1897)
  • Cônego Antônio da Silveira Franca (eleito em 27 de novembro de 1899)
  • Temístocles da Rocha Passos (eleito em 31 de dezembro de 1901)
  • Major Alberto Velloso da Rocha Passos (eleito em 28 de janeiro de 1903)
  • Coronel José Lino de Queiroz (eleito em 10 de novembro de  1907)
  • Coronel Januário Rodrigues Velame (eleito em 25 de julho de 1909)
  • Coronel Trajano Andrade (eleito em 19 de julho de 1912)
  • Luiz Eloy Passos ( 1929 – 1930), eleito pelo Conselho Deliberativo Municipal, foi o último Intendente da República Velha.

PREFEITOS DEPOIS DA REVOLUÇÃO DE 1930

  • Chrisógno José Fernandes (nomeado em 23 de novembro de 1930)
  • Luiz Eloy Passos (nomeado em 01 de julho de 1933)
  • Gilberto de Almeida Passos (nomeado em 01 de fevereiro de 1934)
  • Luiz Eloy Passos (eleito em 02 de fevereiro de 1934)
  • Coronel José Batista da Fonseca (nomeado interino em 05 de maio de 1937
  • Luiz Eloy Passos (nomeado em 10 de julho de 1937)
  • Edmundo Pereira Leite (nomeado em 10 de agosto de 1944)
  • José de Carvalho Rocha (nomeado em 05 de maio de 1945)
  • Geraldo Carlos Pereira Pinto (nomeado em 23 de novembro de 1945)
  • Milton Ernestino da Silva (nomeado em 12 de janeiro de 1947)

OUTROS PREFEITOS E PERÍODOS ATÉ A ATUALIDADE

  • Ramiro Eloy Passos (05/02/1948 a 31/01/1951)
  • Jorge Guerra (31/01/1951 a 07/04/1955)
  • Ramiro Eloy Passos  (07/04/1955 a 07/04/1959)
  • Fernando Carvalho de Araújo (07/04/1959 a 07/04/1963)
  • Jorge Guerra (07/04/1963 a 15/05/1964)
  • Waltércio Barroso da Fonseca (15/05/1964 a 07/04/1967)
  • Lauro de Almeida Passos (07/04/1967 a 31/01/1971)
  • Fernando Carvalho de Araújo (31/01/1971 a 31/01/1973)
  • Carmelito Barbosa Alves (01/02/1973 a 31/01/1977)
  • Claudemiro Dias Pamponet (01/02/1977 a 31/01/1983)
  • Carmelito Barbosa Alves (01/02/1983 a 31/12/1988)
  • Lourival José dos Santos (01/02/1989 a 31/12/1992)
  • Carmelito Barbosa Alves (01/01/1993 a 31/12/1996)
  • Raimundo Jean Cavalcante Silva (01/01/1997 a 31/12/2000)
  • Raimundo Jean Cavalcante Silva (01/01/2001 a 31/12/2004)
  • Orlando Peixoto Pereira Filho (01/01/2005 a 31/12/2008)
  • Orlando Peixoto Pereira Filho (01/01/2009 a 31/12/2012)
  • Raimundo Jean Cavalcante Silva (01/01/2013, renunciando em 09/09/2015)
  • Ednaldo José Ribeiro (assumiu em 10/09/2015 a 31/12/2016)
  • Orlando Peixoto Pereira Filho (01/01/2017 a 31/12/2020)

(FONTE: ACTAS E ATOS, Prof. Manoelito Roque Sá)

O PRIMEIRO GESTOR DE CRUZ DAS ALMAS

Conego

O Cônego Antônio da Silveira Franca foi empossado no Cargo de Intendente da Villa em 1º de dezembro de 1897 e governou patrioticamente o município até 14 de outubro de 1901, quando renunciou o mandato, tendo de retirar-se para a Capital da Província para exercer atividades pastorais. Teve a incumbência de organizar, administrativamente e socialmente, o novo município.  Foi eleito em 3 de outubro daquele mesmo ano, com 342 votos,  quando foram também eleitos os 07 membros do Conselho Municipal, que eram denominados Conselheiros.

Vale lembrar que na época de Intendência Municipal, o gestor e seus conselheiros não recebiam remunerações; ou seja, não recebiam salário pela atuação como edis.

O Cônego Antônio da Silveira Franca foi um vigário cônscio de suas responsabilidades e zeloso conselheiro da comunidade cruzalmense. Como 1º Prefeito,  direcionou suas atenções principalmente para a Educação e Saúde. Consertou as ladeiras de Poções, Pombal e Caminhoá; aumentou o cemitério; pintou o mercado; fez esgotos, etc.

Há um pensamento do Cônego Franca que bem esclarece a sua preocupação com a educação: “Convém disseminarmos a instrução pública, que até certo ponto esteve descurada entre nós, pois só assim conseguiremos o progresso do município, arrancando das trevas da ignorância os futuros cidadãos que hão de trabalhar pelo engrandecimento da pátria. Cada escola que abrirmos será mais um foco de luz que criamos, será mais um título de benemerência que conquistamos no presente e no futuro. Nos livramos da escravidão, que é a origem do servilismo e, portanto, do rebaixamento do caráter do povo. Cuidemos da instrução, porque só a ignorância faz o homem abdicar do direito mais sagrado que tem, que é a liberdade de pensar e de fazer o que lhe dita a consciência”.

(FONTES: O LIVRO DO CENTENÁRIO – Alino Matta Santana; ACTAS E ATOS – Manoelito Roque Sá.)