NOSSA POPULAÇÃO

Cruz das Almas tem, atualmente, 62.871 habitantes e é a 35ª cidade mais populosa da Bahia, segundo os dados divulgados, nesta quarta-feira (29/08/2018), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A divulgação anual das estimativas da população residente nos municípios brasileiros obedece ao artigo 102 da Lei nº 8.443/1992 e à Lei Complementar nº 143/2013. As estimativas populacionais municipais são um dos parâmetros utilizados pelo Tribunal de Contas da União (TCU) no cálculo do Fundo de Participação de Estados e Municípios (FPE e FPM) e são fundamentais para o cálculo de indicadores econômicos e sociodemográficos.

(FONTE: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-detalhe-de-midia.html?view=mediaibge&catid=2103&id=2279)
Anúncios

A CONCEPÇÃO DA CASA DA CULTURA GALENO D’AVELÍRIO

casa da cutura

O ex-presidente da Fundação Galeno D’avelírio e, agora editor da Revista Reflexos, Hermes Peixoto, conta como surgiu a Casa da Cultura:

A criação da Casa se deveu à revista literária Reflexos do Universo. Era um grupo de escritores, a maioria de ex-alunos do Colégio Cruz das Almas e eu era diretor do colégio. Nelson Magalhães Filho, Luiz Carlos Mendes, Wellington Sá eram alguns dos alunos do colégio que resolveram criar uma revista em plena ditadura militar, na época os jornais eram fechados e aquela coisa toda, e o Reflexos do Universo era uma revista nanica, era considerada ‘’Os Nanicos’’ e Os Nanicos faziam uma verdadeira revolução nesse país inteiro. A Reflexos do Universo era uma revista mimeografada e distribuíamos pelo Brasil inteiro…eram jornais insignificantes, mas com muita significatividade e que hoje se você pesquisar sobre ‘’Os Nanicos’’ na internet, você vai ver a importância deles naquela época.10 anos depois, a cadeia pública foi transferida para a saída da cidade onde é hoje, na praça da Liberdade, e o prédio ficou vazio, o grupo então reivindicou do prefeito, senhor Carmelito Alves, e nós conseguimos que aquele prédio que foi fundado em 1922 -é um dos prédios mais antigos da cidade- fosse cedido para um espaço cultural. Sobre o nome da Casa da Cultura, pensamos em uma pessoa que fosse ligada à arte e que fosse apolítica, porque uma coisa que a gente não cultua dentro da casa da cultura Galeno D’Avelírio é a política partidária. É claro que todos nós somos seres políticos, mas a política partidária na casa da cultura inexiste e o Galeno é considerado o maior poeta da cidade, nunca publicou nenhum livro mas temos 8 livros manuscritos dele prontos para impressão.

(FONTELeonardo Gonçalves in http://pensarcruzdasalmas.com.br/falo-com-orgulho-porque-sou-um-apaixonado-pela-casa/ )