PERSEGUIÇÃO ESCRAVOCRATA EM CRUZ DAS ALMAS

Capitão do mato prende cruzalmense por ele ser filho de uma africana importada.

malvadez-capamalvadez

A reportagem intitulada Que Malvadez!, publicada no jornal abolicionista O Asteróide, da cidade de Cachoeira, em 1887, narra a prisão de Antonio, homem de bom “procedimento” e “querido por todos”. Considerada uma prisão injusta pelo periódico, Antonio seria filho de escrava africana importada ilegalmente após 1831. Antonio, certamente, sabia da ilegalidade do tráfico de sua progenitora e do seu direito de liberdade, contudo, a lei dificilmente era cumprida sem a ação de abolicionistas. A forma truculenta como Antonio foi abordado revoltou os editores do jornal:

” Na freguesia de Cruz das Almas viva, há muito tempo Antonio, conhecido por Tuite, negociando com molhados, comprando e vendendo por sua conta, e tendo um procedimento, pelo que era querido por todos. Em um bello dia, antes do Natal, appareceo o Capitão Pedro Celestino da Rocha “dizendo-se senhor” de Antonio, e bruscamente, ajudado “de capitães do mato” prenderam-no violentamente, e levaram o infeliz amarrado em cordas, para o engenho do senhor Umbelino, onde dizem metteram no em tronco. A venda de Antonio trancada, tendo elle o prejuízo da vendagem, assim como um botequim que tinha armado no arraial da Imbira, para a festa, ficou a toa. Acresce que Antonio é filho de africana importada depois de 31 e consta que a seu favor militam outras razões ainda. Veremos (O ASTERÓIDE, 1887, p.2). “

Não se sabe como o caso de Antonio da freguesia de Cruz das Almas foi resolvido, mas é possível classificar a ação de Pedro Celestino da Rocha, da família Rocha Passos, como violenta, associada ao fim da escravidão que se anunciava e a preocupação rigorosa em não perder nenhuma peça de escravo.

Publicado por Edisandro Barbosa Bingre

Paulistano de nascimento, mas radicado em Cruz das Almas desde o início dos anos 80, o que o levou a desenvolver um grande amor por esta terra. Escritor, Professor, Técnico em Agropecuária, estudante de Gestão Pública, Cerimonialista e Servidor Público Municipal.

Um comentário em “PERSEGUIÇÃO ESCRAVOCRATA EM CRUZ DAS ALMAS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: