VEREADOR SABINO DE JESUS

Cruz das Almas reverencia uma de suas mais importantes Autoridades Políticas: o sempre Vereador Sabino de Jesus. Nascido em Santo Estevão, no dia 30 de maio de 1925, Bino – como é chamado pelos amigos –  é uma figura impar, simples, modesto, ético e humilde por vocação. É casado, pai, avô e bisavô. Desde quando foiContinuar lendo “VEREADOR SABINO DE JESUS”

SÉRIE CURIOSIDADES HISTÓRICAS – I

1897 – Foram realizadas as primeiras eleições municipais, quando foram eleitos o primeiro Intendente e os primeiros 07 Conselheiros. 1904 – Foi inaugurada a iluminação pública à gás. 1925 – Inauguração do prédio da Prefeitura, o Paço Municipal. 1933 – Inauguração da Escola Comendador Themístocles. 1934 – Inauguração do fornecimento de energia elétrica da UsinaContinuar lendo “SÉRIE CURIOSIDADES HISTÓRICAS – I”

NEGO TIM, CAMPEÃO BAIANO DE FISICULTURISMO

Em 1964, nasce em Cruz das Almas aquele que viria a ser uma das grandes referências do fisiculturismo baiano: Washington Antônio dos Santos, o Nego Tim. De família humilde, praticante do atletismo, o esportista precisava ganhar massa muscular. Então, para aperfeiçoar seu condicionamento físico, aos 22 anos de idade,  ele improvisou uma academia no quintalContinuar lendo “NEGO TIM, CAMPEÃO BAIANO DE FISICULTURISMO”

A DITADURA MILITAR EM CRUZ DAS ALMAS E O NACIONALISMO

Excelente registro sobre o período da Ditadura Militar (1964-1985), de imensurável relevância histórica para Cruz das Almas, haja vista “uma parte expressiva dos registros escritos, referentes a este periódico, foi quase totalmente apagada a partir do momento em que os militares invadiram a cidade de Cruz das Almas, poucos dias após o Golpe civil-militar de 1964.Continuar lendo “A DITADURA MILITAR EM CRUZ DAS ALMAS E O NACIONALISMO”

TROFÉU ORLANDO PASSOS

A Jornada Científica da Embrapa Mandioca e Fruticultura tem por objetivo reunir apresentações de bolsistas de Iniciação Científica da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (Fapesb) e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), de nível médio, graduação e pós-graduação, representando uma verdadeira amostra da pesquisa que é realizada nestaContinuar lendo “TROFÉU ORLANDO PASSOS”

ODE A CRUZ DAS ALMAS

Cruz das Almas de outros tempos, dos presepes, das jornadas, bumba-meu-boi, lobis-homem, e caipora nas estradas! As novenas dos cruzeiros, as roças de melancia, os tanques, gratas piscinas da criançada vadia! Do futebol vagabundo, com bolas de pé de meia, de Zepelim, das arraias, das rodas à lua cheia! (Excerto de um poema do nossoContinuar lendo “ODE A CRUZ DAS ALMAS”

O “PACATO CIDADÃO” SILVESTRE CALDAS.

  Fundador da Rede Líder de Publicidade, renomado serviço de alto-falante de Cruz das Almas, Silvestre Santana Caldas , cruzalmense, nascido em 31 de dezembro de 1940. Filho de Vivaldo Soares Caldas e de Crispiniana Santana Caldas, casado com Mara Leda Barreto Caldas e pai de Silvio Caldas, Meire Khal, Marluce, Marília e Márcia. Escoteiro,Continuar lendo “O “PACATO CIDADÃO” SILVESTRE CALDAS.”

RELATO CRONOLÓGICO DAS ELEIÇÕES MUNICIPAIS

Após a Emancipação, as primeiras eleições dos candidatos à Intendência e Conselho Municipal foram realizadas no dia 3 de outubro de 1897, sendo eleito o primeiro Intendente, o Cônego Antônio da Silveira Franca. OS PRIMEIROS INTENDENTES Cônego Antônio da Silveira Franca (eleito em 3 de outubro de 1897) Cônego Antônio da Silveira Franca (eleito emContinuar lendo “RELATO CRONOLÓGICO DAS ELEIÇÕES MUNICIPAIS”

SENADOR TEMÍSTOCLES DA ROCHA PASSOS, O PATRIARCA DE CRUZ DAS ALMAS

O Patriarca da emancipação política de Cruz das Almas foi vereador em Cachoeira por duas vezes; deputado por três vezes, eleito senador também por três vezes, Conselheiro Municipal de Cruz das Almas, Presidente deste mesmo Conselho, Intendente e, além disso, era coronel da Guarda Nacional e Comendador da Ordem Imperial de Nosso Senhor Jesus Cristo,Continuar lendo “SENADOR TEMÍSTOCLES DA ROCHA PASSOS, O PATRIARCA DE CRUZ DAS ALMAS”

MATA DE CAZUZINHA – O NOSSO PARQUE FLORESTAL.

Esta área florestal pertencia a Fazenda Itapicuru, de propriedade do Coronel José Batista da Fonseca, cujo apelido era Cazuzinha. Pessoa de visão ambientalista, preservou uma área da sua Fazenda. Ao longo dos anos, a população chamava a área de Mata de Cazuzinha, e o nome foi oficializado. “Quero justificar a desapropriação da Mata de Cazuzinha,Continuar lendo “MATA DE CAZUZINHA – O NOSSO PARQUE FLORESTAL.”